logo


Palu / Genebra, 3 de outubro de 2018 – Uma vila inteira foi destruída pelo tsunami que atingiu Sulawesi em 28 de setembro, descobriram equipes de resgate e busca da Cruz Vermelha hoje.

Os socorristas da Cruz Vermelha Indonésia que chegaram a Petobo, nas fronteiras de Palu e Sigi, descobriram que a vila – que abrigava quase 500 pessoas – não existia mais. Os corpos de 14 pessoas foram recuperados e a busca continuará até hoje.

Iris van Deinse, delegada de comunicações da Federação Internacional da Cruz Vermelha e das Sociedades do Crescente Vermelho (IFRC) em Palu, esteve com a equipe que chegou a Petobo. Ela disse: “Os funcionários da Cruz Vermelha estão abrindo caminho através de destroços e estradas danificadas para alcançar novas áreas e tentar ajudar os sobreviventes, e eles estão encontrando devastação e tragédia em toda parte.

“Quando chegamos em Petobo, descobrimos que ele havia sido varrido do mapa pelo poder do tsunami.

“Estamos fazendo tudo o que podemos para trazer tratamento médico, água limpa e apoio às áreas mais afetadas. Os sobreviventes deste desastre perderam entes queridos, lares e meios de subsistência. Também não podemos deixá-los perder a esperança ”, disse van Deinse.

O acesso foi dificultado pela destruição de estradas e pontes entre as áreas afetadas. Para acelerar o trabalho de socorro, a Cruz Vermelha Indonésia esvaziou cinco de seus armazéns e carregou equipamentos e mercadorias em três navios, o primeiro dos quais deve chegar amanhã e descarregar sete caminhões-pipa, cinco cozinhas de campo, 947 kits para bebês e 10 mil mosquiteiros, 650 colchões, 3.700 kits de higiene, 12 tendas e 300 sacos para cadáveres.

Uma equipe da Cruz Vermelha da Indonésia chegou à área de Sigi na segunda-feira, 1º de outubro. Entre muitas cenas individuais de perda e horror, equipes de busca e resgate encontraram os corpos de 34 estudantes que estavam participando de um acampamento bíblico quando o desastre aconteceu.

Equipes médicas montaram clínicas de saúde móveis em Palu, Donggala e Sigi, onde os médicos tratam principalmente mulheres e crianças que sofrem de feridas abertas, ossos quebrados e hematomas. Médicos estão relatando um aumento no número de casos de diarréia, problemas estomacais e gripe ligados a sobreviventes que dormem nas ruas sem acesso a água limpa.

As necessidades mais urgentes são busca e resgate, atendimento médico para sobreviventes, alimentação – incluindo comida para bebês – abrigo e água limpa. Também são necessários lonas, cobertores, serviços de saúde e linhas de comunicação para contatar famílias e parentes.

Pelo menos 1.407 pessoas foram mortas e mais de 2.500 foram feridas no desastre. A FICV está solicitando 22 milhões de francos suíços para apoiar 160.000 pessoas afetadas pelo terremoto e tsunami em Sulawesi e a série de terremotos na ilha de Lombok.

Saiba como ajudar:   

https://www.ifrc.org/en/donate-us/?campaign=85b9910e-5cc5-e811-80dd-0050560100a8

Video

www.youtube.com/watch?v=YHW_pYaQUjQ

equarte indonesia