logo


T-2e1ba69771adb6cb143d1a312d8b6826-400x267

11110554_10155457402535158_2130001452376524439_n
Lampedusa, voluntários da Cruz Vermelha ajudar os migrantes
E ‘implacável nos dias de hoje o trabalho de homens e mulheres da Cruz Vermelha italiana, juntamente com outras associações e instituições, está presente nos principais portos da Sicília, Calábria, Puglia, Sardenha para prestar assistência humanitária aos migrantes que chegam de unidades navais Guarda Costeira, Marinha e comerciante após ser resgatado no mar.

Desde sexta-feira passada, em uma semana foram 11 mil migrantes salvos.

“Além dos números, há pessoas e muitas vezes a emoção de uma ajuda para aqueles que precisam de todo o trabalho duro compensa. Ainda ontem no desembarque de Palermo – diz um voluntário da Cruz Vermelha italiana – havia um bebê recém-nascido que a mãe tinha dificuldade em amamentação. Então nós entramos em ação imediatamente para obter o leite para o bebê e nós alimentados. Em seguida, a pouco ele foi transferido para o hospital “.

Na Sicília, a Cruz Vermelha está no campo com mais de 100 voluntários e operadores do Departamento Regional de Saúde Pública (RSP), com ambulâncias, tendas de montagem rápida, veículos automóveis para transporte de pessoas e mercadorias.

No porto de Trapani está em andamento desembarque de 200 pessoas. A Cruz Vermelha está presente com 20 voluntários, três ambulâncias e 5 de saúde do DER. Em Trapani chegou nos últimos horas no total 586 imigrantes, incluindo 78 mulheres, muitas delas grávida, e 58 crianças, dos quais cinco bebês.
Em Pozzallo (RG), a bordo do navio Fiorillo Guarda Costeira, chegou na manhã de hoje, 17 de abril de 301 migrantes, incluindo 23 crianças e 43 mulheres, da Síria e da Eritreia. Augusta chegou ontem 592 pessoas, incluindo 42 mulheres e uma criança. Os imigrantes chegaram a bordo do navio Dattilo e fazem parte de seis operações de resgate diferentes. A Cruz Vermelha com 10 voluntários, ambulâncias e operadores do Departamento de Saúde Pública, tem prestado assistência à saúde.
Na noite de 17 de Abril chegaram a Lampedusa um grupo de cerca de 70 imigrantes resgatados pela Guarda Costeira, incluindo uma mulher morreu e 18 pessoas queimadas, talvez na sequência da explosão de um cilindro de gás antes da partida a partir da costa da Líbia. Os feridos foram transferidos de helicóptero para Palermo e Catania.
No dia de 16 de Abril, no porto de Augusta já chegou a 600 pessoas. O CRI esteve presente com 16 voluntários, ambulâncias e veículos.

Enquanto isso, a Cruz Vermelha está se preparando para os recém-chegados em Palermo e Messina para amanhã de manhã, Sábado, 18 de Abril. Em Palermo vir 200 pessoas. A Cruz Vermelha estará presente com 30 voluntários e quatro ambulâncias. Cerca de 480 migrantes chegam em vez de Messina, onde a Cruz Vermelha vai intervir com 30 voluntários e duas ambulâncias.